Seguidores

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Uma poema de Ana Maria Cortez.

SALVANDO A MESÓCLISE
(Direitos reservados à autora ANA CORTEZ). *

I
Quem sabe ver-nos-emos qualquer dia desse ; 
Dir-lhes-emos o quanto eles poder-nos-iam fazer falta
Far-lhes-emos uma grande homenagem
Encontrá-los-ei com amigos de longa data.

II
Quem sabe pensando em ti saborá-los-ei
Dos prazeres da vida e dela mostrar-te-ei o sublime
Ficar-nos-á o tempo, contemplá-lo-emos!
Admirar-te-íamos e tu mostrar-nos-ias a alegria.

III
Você descrever-me-á os tempos idos
Lembrar-me-á as antigas canções
Levá-lo-ei e levar-me-á a outras destinações
Por caminhos suaves segui-lo-ei.

*Ana Maria Cortez é filha de Maria Natividade Cortez Gomes (Nati Cortez), autora da peça de teatro infantil "O Maribondo Amoroso", que será lançado na noite de hoje, 25,na Academia de Letras (Rua Mipibú, 443, Petrópolis, em Natal/RN.

sábado, 20 de julho de 2013

O Maribondo Amoroso será lançado no dia 25.

O marimbondo amoroso

Peça teatral de Nati Cortez, pioneira da literatura infantil no RN, será relançada em livro na próxima quinta-feira

21:06 18 de Julho de 2013
 
Redação
DO NOVO JORNAL - Edição de 19.07.2013.
A União Brasileira de Escritores (UBE/RN) vai lançar na próxima quinta-feira (25), Dia do Escritor, a segunda edição do livro “O marimbondo amoroso”, de Nati Cortez, pioneira da literatura infantil no Rio Grande do Norte. A autora faleceu em 1989, aos 75 anos, e a publicação deste livro inicia uma série de homenagens ao centenário dela que transcorrerá em setembro do próximo ano.

originário de uma peça teatral, o livro conta a estória de um maribondo, cujo nome é Amoroso, que se apaixona por uma abelhinha. O romance, que contraria a vontade da abelha rainha e do rei marimbondo, ainda sofre mais um revés: como são de espécies diferentes, ele machuca a fêmea com seu ferrão. Como prova de amor, Amoroso retira o seu ferrão e se torna um abelhão para conseguir viver junto da amada. Enfim, os dois se casam e vão morar juntos na colmeia, mostrando aos jovens leitores que o amor faz maravilhas quando une os corações.

Um dos 24 filhos de Nati Cortez, João Maria, 68, conta que a mãe escrevia desde os 14 anos de idade, mas o gosto pelas peças infantis surgiu somente após o nascimento dos primeiros netos, na década de 60. Durante sua trajetória, publicou peças como Diálogo das Estrelas (1971) e Abelhinha Sonhadora (1973). Suas principais obras, no entanto, foram O Mistério dos Discos Voadores (1976), A Guerra dos Planetas, Natal do meu tempo de menina; O Curumim Amazônico e O Maribondo Amaroso (1980).

João Maria conta que há muitos textos da mãe que nunca foram publicados e são guardados como lembrança na casa da família. Boa parte deste arquivo, segundo ele, é de poesias e contos, predominando entre estes últimos a temática da ufologia, assunto que a autora pesquisava e tinha interesse especial.

A iniciativa para a republicação do livro aconteceu em outubro de 2012, durante o V Encontro Potiguar de Escritores, promovido UBE/RN, na Academia Norte-RioGrandense de Letras, quando a autora teve seu nome inserido na Coleção Nati Cortez (Infanto-Juvenil) destinada às crianças e jovens.

Com boa parte da família vive em diversos estados, como Rio de Janeiro (RJ), onde Nati passou a infância, Brasília (DF) e Ceará, os filhos estão querendo reunir os parentes durante o lançamento do livro em Natal. “Após a sua morte houve até homenagens internacionais, feitas por amigos de Moçambique e Angola. E com esta (homenagem), de sua terra, não há como não ficar orgulhoso”, afirmou João Maria, resumindo o sentimento dos descendentes de Nati Cortez.

O presidente da UBE, Eduardo Gosson, explica que o livro faz parte de uma série de publicações realizadas em homenagem a autores potiguares desde o ano passado, conforme plano editorial estebelecido pela instituição. Atualmente, a UEB conta com cinco coleções: a Antônio Pinto de Medeiros, sobre poesia; Bartolomeu Correia de Melo, prosa; Enélio petrovich, história e memória do Rio Grande do Norte; a coleção Deífilo Gurgel, dedicado ao folclore e a coleção Nati Cortez, voltada para a literatura infantil.

Para Gosson, a publicação da obra vem em boa hora, pois é uma preocupação da entidade incentivar a leitura das crianças. “O marimbondo amoroso” é o primeiro título da UBE destinado a esse público. “A coleção Nati Cortez está surgindo na hora certa, tanto para que as crianças comecem a ler desde cedo como para resgatar uma autora que, por sua importância, não pode ser esquecida”, afirmou.

No ano passado, segundo o presidente da UBE, foram reeditadas pela nove obras. E até julho de 2013, pelo menos quatro livros foram publicados. A previsão é de que o número suba para oito até o final deste ano.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

UBE/RN lança mais um livro de Nati Cortez.


Caríssimos (as).

No dia 25 de julho, 5ª feira, às 18 horas, haverá o lançamento do livro de Nati Cortez, "O Maribondo Amoroso", uma peça da pioneira do teatro infantil no Rio Grande do Norte. A publicação é da UBE potiguar, em parceria com a família da autora. O lançamento será no auditório da Academia de Letras do RN, na rua Mipibu, 443, Petrópolis "O Maribondo Amoroso" da escritora Nati Cortez (in memorian) é o vol. 01 da Coleção Nati Cortez (infanto-juventil), selo editorial Nave da Palavra. Prefácio do professor Carlos Roberto Miranda Gomes.

Contamos com sua presença.

Cordialmente

A Família de Maria Natividade Cortez Gomes.
 













sexta-feira, 5 de julho de 2013

UBE/RN se reune dia 25 e lança 2ª edição de livro de Nati Cortez.

    CONVITE   

                                                        O presidente da União Brasileira de Escritores - UBE/RN  convida Vossa Senhoria e família para  o lançamento do livro O MARIBONDO AMOROSO da Escritora NATI CORTEZ (in memoriam),vol. 01, da Coleção Nati Cortez(Infanto-Juvenil), selo editorial Nave da Palavra.
Data: 25.07.2013 (quinta-feira)  - Hora: 18h - Local:  Academia Norte-rio-Grandense de Letras à rua Mipibu, 443 - Petrópolis
              Eduardo Antonio Gosson
                          Presidente  da UBE/RN
Maria Natividade Cortez Gomes.
Família cogita lançar "Abelhinha Sonhadora", em 2014, ano do seu centenário de nascimento.Foto: arquivo da família.