Seguidores

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Mais um poema de Dilson Ferreira, o poeta semidesconhecido.

BOM DIA COM POESIA...

E R O S Ã O !

O menino sonha e voa alto
Como as gaivotas no céu
Nem percebe o tempo e
Acha as horas lentas
Corre, e salta, e usa o vigor
Não sabe definir ainda
O que seja o amor.

     O velho já não sonha tanto
     O quanto já sonhou um dia
     Ainda voa, mas não tão alto
     Preocupa-se com o tempo e
     Acha as horas rápidas demais
     Falta-lhe vigor pra saltar
     Mas sabe definir o que é amor.

Menino + velho = ao tempo
Ciclo inevitável da vida
Estações - emoções - erosões
O hoje das horas longas
Horas curtas de amanhã
O menino não sabe o que é ser velho
Mas, o velho sabe o que é ser menino!

09/07/2013 - D I L S O N - NATAL/RN.
PUBLICADO NO RECANTO DAS LETRAS
EM 26/09/2013 - SOB Nº (T4498671) -

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

 Espetáculo Auto da Aldeia do Guajiru a Batalha de São Miguel neste domingo dia 29

   
  25 de setembro de 2013 08:01

Fotos: LeoSodré/ Edição 2012
Com texto e direção de Ricardo Veriano, o espetáculo Auto da Aldeia do Guajiru, a Batalha de São Miguel, será no dia 29, nas ruínas da antiga Igreja Católica, no Centro antigo de Extremoz, às 20h30. O evento, que já faz parte do calendário cultural do estado vem ao longo tempo se consolidando e nesta 5ª edição está sendo especialmente preparado pela Prefeitura de Extremoz, por meio da Fundação de Cultura Aldeia de Guajiru.
 
“A peça conta com cerca de 150 atores e será encenada ao ar livre, em palco armado entre as ruínas da primeira Igreja Jesuíta do estado”, informou a presidente da Fundação de Cultura Aldeia de Guajiru, Leda Medeiros. “O ambiente traz uma dosagem de realidade à cena da chegada dos jesuítas à Vila de Extremoz, assim como configura um cenário grandioso para as outras cenas, que contam o convívio entre índios, europeus e negros naqueles tempos coloniais”, completou a presidente.
 
A batalha de São Miguel Arcanjo contra o mal é narrada por personagens da cidade, termina com a vitória do santo lutador e com uma grande festa no Céu, que reúne santos padroeiros de todos os distritos de Extremoz.
 
História oficial e mítica

 
O Auto da Aldeia do Guajiru, a Batalha de São Miguel é encenada desde setembro de 2009, com a maioria dos atores do município, sendo, ao longo do tempo, fruto de um processo contínuo de discussões coletivas públicas, estudos e outras ações conjuntas da cidade de Extremoz e seus distritos. “Tudo isso é fomentado pelo desejo de todos que fazem o município e que o querem reconhecer na História oficial e mítica”, disse Leda Medeiros.
 
A rigor, a identidade cultural da cidade flui através do teatro e suas linguagens, recheadas de novas interpretações, sobretudo, transcendendo os muros do âmbito escolar e impulsionando outros olhares reflexivos a favor ou contra a História oficial dos seus autores, os vencedores, que contaram a história corrente em detrimento dos seus atores: o índio, o português e o negro.
 
O evento também contribui para a formação de platéias, artistas e gestores culturais na cidade e nas adjacências, sendo inclusive um trabalho inclusivo e socioeducativo, uma vez que se fazem presentes nas oficinas e montagem do auto, crianças, adultos, idosos, montadores de cavalo, pescadores, deficientes e congêneres, todos unidos em prol do sucesso do espetáculo. (LS).
 
Leonardo Sodré


--
Postado por AssessoRN - Jornalista Bosco Araújo no AssessoRN.com em 9/25/2013 08:01:00 AM

domingo, 22 de setembro de 2013

A família Gosson em Natal. Livro será lançado dia 26, em Ponta Negra.

CARTA-CONVITE DO LIVRO CRÔNICAS DA FAMÍLIA GOSSON

Neste livro que será publicado em  26 de setembro 2013, última quinta-feira,, às 19h, no Hotel Majestic (de propriedade da família),  escrito pelo poeta e escritor Eduardo Gosson, presidente da União Brasileira de Escritores – UBE/RN,  vol. 04 da Coleção  Bartolomeu  Correia de Melo (prosa) do selo editorial Nave da Palavra, o autor conta, através de crônicas comoventes,cheias de lirismo, a história da sua família (Gosson) desde a vinda dos avós para o Brasil  no ano de 1925 (imigrantes libaneses),passando pelos pais, tios, filhos e netos de forma leve. Foge ao padrão dos  livros de genealogia. Pura poesia em forma  de crônica.
 Segundo a poeta e crítica literária Valdenides  Dias, da Universidade Federal do RN – Campus de Currais Novos: “A suavidade com que você ata o fio da vida ao da morte me emociona. Mesmo poeticamente falando, dói. Tanto.”. Por sua vez, o poeta Horácio Paiva, afirma: “Você consegue expor a subjetividade de  suas emoções com muito realismo – e alia tudo à nostalgia,às lembranças das pessoas e da cidade que passou...”. Avalizaram a presente obra o escritor português Carlos Morais dos Santos que assinou o Prefácio, Walter Cid que fez a Apresentação e a escritora Anna Maria Cascudo Barreto que escreveu as Orelhas. Para a  filha de Cascudo: “Finalmente hoje participo já como escritora e acadêmica da União Brasileira de Escritores na sua diretoria. Encontro Eduardo Gosson, poeta e escritor, um batalhador cultural. Vejo-o como  a síntese da família, naquilo que eles possuem de mais sólido. Seu sobrenome significa “árvore frondosa” em árabe. Ele é o somatório das virtudes adquiridas em terras brasileiras. Tem a simplicidade dos múltiplos, o brilhantismo dos modestos. Um líder, descobridor e incentivador de talentos. Incapaz de um sentimento menor. Pai  amantíssimo. Avô fascinado. Excelente marido.  Amigo como poucos.
Surgiu na vida como um sol que não admite sombras  nem se deixa tolher pelas tempestades. Vive buscando a luz do paraíso da igualdade. Seu corpo frágil disfarça o gigante de esperanças. Pássaro que voa feliz apesar das correntes de ar contrárias. Acredita, como Esopo  (século VI a.C.” ) que “a união faz a força”. Seu comunismo resulta no amor ao próximo. Sem buscar recompensas. Sua meta é erguer pontes quando só existiam paredes.”
SERVIÇO: 
Lançamento do livro Crônicas da família Gosson 
 Data: 26.09.2013 (quinta-feira)
Hora: 19h
Local: Hotel Majestic sito à Av. Roberto Freire, 8860 – Ponta Negra. Após ultrapassar a Feira de Artesanato que fica em frente ao semáforo é o primeiro hotel à direita, vizinho ao Only Pizza. Tem estacionamento no hotel e, ao lado, há um terreno baldio, que é estacionamento
Valor do livro: R$ 30,00

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

As mulheres nas canções medievais.

Marcar com estrela  

AssessoRN - Jornalista Bosco Araújo 

<boscoaraujo1@gmail.com>
12 de setembro de 2013 23:38
Para: gonzagacortez@gmail.com

Promovido pelo Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras Modernas (DLLEM), o projeto Me explica, me ensina de setembro traz como tema “A representação da mulher nas cantigas medievais e uma interpretação da imagem da América erótica”. O debate acontecerá dia 24, a partir das 19h, no auditório B do Centro de Ciências Humanas, letras e Artes (Campus da UFRN). A entrada é gratuita.
 
Coordenado pela professora Izabel Nascimento, o projeto de extensão foi criado para que todo mês sejam discutidos novos temas, geralmente não abordados nas grades curriculares dos cursos. Para o debate, são convidados professores ou profissionais da área. Este mês o projeto terá a participação de Martha Gonçalves e Regina Simon, dos Departamentos de Letras e Literaturas Estrangeiras Modernas, respectivamente.
 
As inscrições podem ser realizadas através do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) ou no local do debate. Haverá certificados para os ouvintes.
 
Assessoria de Comunicação
CCHLA/UFRN /(84) 3215-3573