Seguidores

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016


quarta-feira, 7 de dezembro de 2016


quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Assembleia Legislativa aprova Lei Orçamentária para 2017 em R$ 12,3 bilhões

Crédito da Foto: João Gilberto

O orçamento aprovado pelos deputados estaduais para custeio e investimento público do Governo do Estado em 2017 recebeu 350 emendas parlamentares. Na tarde desta quarta-feira (21) o Projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) - que estima a receita e fixa as despesas para o exercício de 2017 – foi finalizado em R$ 12,3 bilhões. O montante será dividido em R$ 7,6 bilhões do Orçamento Fiscal e R$ 4,6 do Orçamento da Seguridade Social.

A peça orçamentária chegou à Casa em setembro e tramitou na Comissão de Finanças e Fiscalização (CFF), presidida pelo deputado Tomba Farias (PSB), com relatoria do deputado George Soares (PR). O projeto analisado reflete a situação financeira do Estado com congelamento no orçamento dos Poderes e dos órgãos autônomos. Houve uma queda no índice de repasse do valor global de 23% para 21% e ampliação da margem de remanejamento de recursos pelo Executivo em 2%, ficando o total de 12%.

“O Poder Legislativo cumpre seu papel de mediador junto aos demais poderes, setores sociais, sindicais e empresariais. Fizemos uma discussão orçamentária bastante participativa e alinhada com a realidade. Nestas negociações as partes entenderam o atual momento de escassez de recursos. Além disto, fomos propositivos. Diante da crise, o Poder Legislativo partiu na frente anunciando cortes e mantendo o orçamento de 2017 nos parâmetros de 2016, assim como já tínhamos proposto no orçamento de 2015”, avaliou o deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa.

Antes da votação, os parlamentares se reuniram na Comissão de Fiscalização e Finanças (CFF) e ajustaram o relatório final do orçamento, dentro do entendimento estabelecido entre os Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e órgãos Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado. A comissão discutiu e aprovou o redimensionamento do Orçamento Geral do Estado (OGE) para o exercício de 2017 em função de o Tribunal de Justiça ter aberto mão do valor de R$ 83 milhões.

Com a nova redistribuição dos recursos, o Tribunal de Justiça vai ficar com R$ 822,8 milhões: a Assembleia Legislativa com R$ 334,8 milhões; o Ministério Público com R$ 302,5 Tribunal de Contas com R$ 91,2 e a Defensoria Pública com 30,5 milhões.

De acordo com o relator, as cerca de 350 emendas foram uma forma para atender os Poderes e órgãos autônomos. Os deputados não alteraram os valores previstos no projeto original, destinados à Saúde, Educação e Segurança. Para a Saúde, permaneceu o valor de R$ 1,41 bilhões; Educação R$ 1,62 bilhões. A Segurança Pública receberá recursos na ordem de R$ 1,2 bilhões.

A proposta compreende o Orçamento Fiscal, referente aos poderes do Estado, seus Fundos, Órgãos e Entidades da administração Direta e Indireta; Orçamento da Seguridade Social, abrangendo todos os Fundos, Órgãos e Entidades da Administração Estadual Direta e Indireta; e Orçamento de Investimento das Empresas em que o Estado, direta ou indiretamente, detenha a maioria do capital social com direito a voto.

Discussão

Durante a sessão, a matéria foi debatida pelos 21 parlamentares presentes. O deputado George Soares (PR), relator da peça considera que esse ano o projeto mais técnico da Casa foi amplamente discutido e avaliado.  “Foi um fato histórico, quando proporcionamos o congelamento do repasse para os poderes e órgãos autônomos. Agora com a devolução de recursos do Tribunal de Justiça há condições de aprovação do Projeto Original”, disse o deputado George. O relator disse que examinou todas as demandas e proposições das categorias dos servidores e poderes, buscando a solução mais adequada.

“Os recursos são limitados e as demandas crescentes. Significa necessariamente uma eleição de prioridades. Os principais problemas do nosso Estado vão muito além da Lei Orçamentária Anual”, disse George. O relator destacou que foi procurado por sindicatos e entidades do setor produtivo para discutir a execução orçamentária. Destacou o esforço para reduzir o déficit orçamentário, que estava na ordem de R$ 449 milhões e foi reduzido para R$ 88 milhões, numa queda de 80%. “O fato dos poderes terem concordado com o congelamento, bloqueou os possíveis aumentos dos percentuais de repasse aos poderes, minimizando as perdas do Executivo”, destaca George. No caso da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, a redução anual foi de mais de R$ 12 milhões anuais.

 

POR QUE NÃO EXISTEM VÁRIOS DEZEMBRO`S?

Com toda certeza, Tomislav esta certo.
Excelente seu artigo, companheiro!
Pedro Cabral Cabral nos deixou um pais complicado!
Leiam e compartilhem essa filosófica, critica e irônica crónica:

Bem vindo ao blogcarloscostajornalismo.
Visite, conheça, compartilhe com seus contatos e comente se quiser outros trabalhos científicos, sociais, filosóficos e literários nele publicados:

Comentários no link http://carloscostajornalismo.blogspot.com.br/2016/12/por-que-nao-existem-varios-dezembros.html

POR QUE NÃO EXISTEM VÁRIOS DEZEMBRO`S?

No calendário gregoriano implantado pela Igreja Católica e aceito na maior parte do mundo, por que não existem vários dezembro`s , em vez de um  só e unicamente para  encerrar o ciclo dos 365 dias e 6 horas de um ano, durante  os quais pessoas usam-nos para se embrutecerem,  se explodirem com bombas e  matar seres humanos em guerras, atentados terroristas em nome de  crenças, convicções ou intolerâncias religiosas pelo mundo afora, se arrepender e pedir perdão, depois? Com certeza todos serão perdoados, mesmo os que caminham à margem da lei como os terroristas religiosos!  Não seria mais justo e lógico se existissem vários dezembro´s durante o calendário em vez de apenas um dezembro?  A arqueologia já comprovou que o nascimento de Cristo teria ocorrido entre abril e junho, mas sem precisar um dia exato que teria se dado o seu nascimento!

Em dezembro, a crença e a tradição de que seria a suposta data do nascimento de Cristo, foi apropriada pela Igreja Católica e alimentada pela ganância do comércio no mundo para vender mais. Isso, porém, é outra discussão! No mês de dezembro, porém, as pessoas ficam ou demonstram ficar mais felizes, compram mais presentes, dão e os recebem, desejando a quem os recebem “um feliz natal e próspero ano novo”! É muito estranho esse calendário gregoriano!! Um único mês para se fazer o que deveria ser feito todos os dias: abraçar e desejar felicidades a cada pessoa! Uma mensagem da professora de Serviço Social da Bahia, Rita Cortez, pedindo que refletisse sobre o dia 25 de dezembro,  quando se comemoraria o nascimento de Cristo, me fez escrever essa crônica!

Por que não poderiam existir vários dezembro`s e não um só e para completar o ciclo dos 365 dias e 6 horas estabelecido pelo Papa Gregório XIII (1502-1565),  com sua bula papal “Inter Gravissimos?  O papa foi sendo  assessorado para fazer regressar o “equinócio da primavera” para o dia 21 de março,  desfazendo um erro de 10 dias antes existente no calendário juliano, implantado pelo imperador romano Júlio César (1400 -44 a C) .O papa levou vários anos e foi auxiliado pelos católicos Chistopher Chavius (138-1612),  Ignázio Danti,(1536-1586) e Luigi Giglio (1510 – 1576).  Cumprindo a missão papal, a cada quatro ano passou a existir a quatro anos um mês bissexto, com fevereiro passando a ter 29 dias em fez de 28, nos três anos antes.   Mas isso é história e pode ser lido por todos.

Sem tanto poder de imposição e dinheiro da Igreja Católica, desejo implantar uma  bula papel  e a chamarei de “Inter Gravissimos Crisis de Rede`s Sociai`s”, proibindo uso de redes sociais pelos possíveis convidados. Desejo que cada deles  possam interagir ao redor da mesa de alimentos sagrados como se fazia no passado. Era gostoso se conversar olho no olho. Contudo, continuo intrigado e me questionando: por que em todos os meses do calendário gregoriano não existe um dezembro dentro de cada ser humano!?  E por que o mundo digital invadiu o real, invertendo tudo e  sem o mesmo calor humano de antes das redes sociais?  Se fizer o que não tenho certeza se farei, estenderei a validade da bula de papel, até o ano novo ou até que o Governo  instale detector de metal na entrada dos presídios do Brasil e proíba  o livre uso de celulares pelos condenados,  como fazem nos aeroportos do Brasil e do mundo!

Como o Governo não faz nada ou quase nada que diz que fará  em razão da falta de dinheiro,  também  não o farei  e direi que estou em crise financeira  como todos os brasileiros também estão...!

Enviado do meu LG Claro
“Os Últimos Passos do Enforcado”, livro inédito de autoria do caicoense Edson Soares está entre os 10 finalistas do Prêmio Kindle de Literatura, cujo anúncio oficial foi nesta segunda-feira (19). O prêmio é realizado em parceria com Amazon e Nova Fronteira. Jornalista, trabalhou como repórter da TV Ponta Negra, Edson Soares, 48 anos, despontou sua carreira como cineasta, sua paixão, mas primeiramente tem de escrever os romances.

São cinco publicações de sua autoria, dentre os quais dois impressos: “Nova Amsterdã” e “Confissões do Sefardita Errante” e mais três em formato ebook: “Amanhã Há de ser Outro Dia”, “Temporada de Sangue” e o escolhido “Os Últimos Passos do Enforcado”, inspirado no enforcamento de um escravo negro ocorrido na Caicó do século 19, na época Vila Nova do Príncipe, “uma pequena e provinciana cidade do Brasil Imperial”, assim ele escreveu na sinopse do livro.

O resultado do prêmio está marcado para janeiro próximo e o vencedor ganhará o prêmio de 20 mil reais e contrato com a editora Nova Fronteira. Apenas três autores estarão na final.

Esteja na final ou não, Edson Soares já comemora o resultado de “Nova Amsterdã” que virou filme e cujo longa-metragem será lançado, nacionalmente, nos primeiros meses de 2017.

CONFIIRA OS DEZ LIVROS SELECIONADOS
1- “Alma”, de Raquel Favaro;
2- “Beira de Rio”, de Rodrigo Vrech;
3- “Curral de Pedras”, de Jards Nobre;
4- “Glitter”, de Bruno Ribeiro;
5- “Jangadas”, de Márcio Noal.
6- “Machamba”, de Gisele Mirabai.
7- “Minha Sombra Cabe Ali”, de Leon Idris Azevedo.
8- “Noite”, de Noberto Santos.
9- “O Lado Oculto do Medo”, de Barbara Nonato.
10- “Os Últimos Passos do Enforcado”, de Edson Soares.
Foto reproduzida capa do livro

©2016 www.AssessoRN.com | Jornalista Bosco Araújo -Twitter @AssessoRN

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Literatura: a hora e a vez das crianças.

08/12/2016 18h41 - Atualizado em 08/12/2016 18h41

Irmãos potiguares de 7 e 4 anos lançam livro em Natal

Lançamento de 'Era uma vez dos bichos' é domingo (11) no Parque das Dunas.
Crianças escreveram o livro incentivados pelos pais.

Do G1 RN
Tomás e Laís Sena, de 7 e 4 anos, lançam domingo o livro ERa uma vez dos bichos (Foto: Luiz Renato)Tomás e Laís Sena, de 7 e 4 anos, lançam domingo o livro ERa uma vez dos bichos (Foto: Luiz Renato)
Os irmãos Tomás e Laís Sena, de 7 e 4 anos, respectivamente, sempre se divertiram inventando histórias e criando rimas com os pais, o engenheiro mecânico e poeta Renato Dantas e a arquiteta Samara Sena. A brincadeira acabou virando um livro e o lançamento de 'Era uma vez dos bichos', com pequenas rimas divertidas e ilustrações sobre os animais, acontece neste domingo (11) no Parque das Dunas, em Natal.
Para transformar a brincadeira em livro impresso, Renato e Samara contaram com a ajuda de um site de financiamento coletivo e com o apoio da escola das crianças. Com o livro já pronto, as encomendas entre amigos e familiares aumentaram consideravelmente e o casal resolveu bancar a segunda tiragem de 100 exemplares.
O lançamento de "Era uma vez dos bichos" acontece noeste domingo (11), no Parque das Dunas às 9h30.
Serviço
Lançamento do livro infantil "Era uma vez dos bichos"
Autores: Tomás e Laís Sena
Local: Anfiteatro Pau-Brasil, Parque das Dunas
Dia: 11/12
Hora: 9h30